quarta-feira, 3 de junho de 2009

Revoluções por minuto

Foi-se o tempo em que revolução era sair nas ruas e reivindicar seus direitos. Hoje em dia somos bombardeados por revoluções, sejam de ideias ou costumes, quase que diariamente. Somos praticamente impostos a nos encaixar nas novas ondas, nas novas modas e viver sob suas custódias. Prisioneiros de um sistema ideológico que necessita de mudanças bruscas a todo momento? Engenheiros de um sistema alternativo para os problemas atuais? Ou apenas humanos?
 
E eis que surge o que o RPM cantava nos anos 80, na música que leva o nome da banda – “Revoluções Por Minuto”: a constante mudança de conceitos gerada pela globalização, ainda em ascensão naquela época. Se o que Paulo Ricardo escrevia em 1984 já fazia sentido, imagine com o contexto atual, em meio a crises, ameaças de bomba e problemas climáticos decorrentes da ganância humana. Só nos resta analisar.
 
“Sinais de vida no país vizinho / eu já não ando mais sozinho”. A Coreia do Norte finalmente mostra do que é capaz, depois de ser menosprezada anos a fio, durante o governo Bush, pela nação americana. Vontade de crescer e aparecer fazem da nação comunista uma ameaça colossal à hegemonia dos EUA e deixam o presidente das boas relações em uma saia justíssima. Um pepinão, hein, Sr. Obama? Ou seria uma bomba de efeito moral?!
 
“Ouvimos qualquer coisa de Brasília / rumores falam em guerrilha”. Quem disser que não quer Lula pela terceira vez na presidência estará mentindo. O presidente neo-populista, apesar de garantir que nem cogita a possibilidade de mudar a Constituição Federal, é a única opção para o PT continuar nas cabeças. Dilma Rousseff, apesar de toda a confiança depositada, parece despreparada e dificilmente agradará eleitores conscientes. Ou isso ou aumentar o mandato para mais dois anos, quando se faria uma nova eleição – dessa vez, geral – para mudar de uma vez por todas aquilo a que denominamos ‘política’ nesse país bagunçado.
 
“Fulano se atirou da ponte aérea / não aguentou fila de espera / apertar os cintos / preparar pra descolar”. O problema da aviação brasileira em pleno século 21. Resolução imediata do imbróglio ou todo mundo que viaja de avião não assistirá nem as eliminatórias da Copa de 2014. E como se não bastasse, acordamos recentemente chocados com mais um acidente aéreo de terríveis proporções no território brasileiro. Tudo bem que dessa vez a culpa pode ser dividida com a França, que comemora o seu ano no Brasil. Mas o que nos garante se amanhã um acidente com um TAM, um GOL ou qualquer outro não abalará nossas estruturas. E ficamos a ver navios na fila de espera do avião…
 
“Nos chegam gritos da Ilha do Norte / ensaios pra Dança da Morte / tem disco pirata / tem vídeo cassete até”. Tudo bem que vídeo cassete ninguém usa mais, mas atenção! A crise que assola o mundo vem dos EUA, localizado na tal Ilha do Norte, assim como o vírus da gripe suína – aqui bem representado pela Dança da Morte, livro de Stephen King que conta a história do fim do mundo a partir de um vírus que destrói a raça humana. Algo bem simplório e que, ao contrário dos anos 80, traz consigo medidas e tecnologias suficientes para evitar problemas mais graves.
 
E se a China continua bebendo Coca-Cola e se ainda cheiram cola aqui na rua, isso é problema do Estado: globalizado e omisso. Pensando bem, é problema de todos nós. Cobrar dos nossos “representantes” e bater na mesma tecla sempre, que eles estão lá por causa de nosso voto. E se isso não bastar, vá às ruas. Não é isto que eles querem: revoluções por minuto?!

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Vc é impressionante!

    Sabia?


    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Realmente, tu és impressionante, meu jovem!

    Eu nunca vi ninguém falar tão orgásticamente de conceitos socio-políticos, como você e sem encher o saco como a maioria!

    Parabéns por mais uma vez me surpreender com suas postagens extremamente bem engendradas (literalmente!) e dar um ar mais especial na minha tarde com suas visões.

    Abração, revolucionário!
    Leandro Merlllin
    http://www.olhardesaldejack.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Com o advento da internet então; cada vez mais acessível... estamos a caminho das nano-revoluções!
    .
    http://bloggalemdoqueseve.blogspot.com
    .

    ResponderExcluir
  4. Bom o texto, muito bem elaborado com a ligação com a música!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. É intrigante o que relatou.
    Revolução é uma coisa bem complexa, pois ao ponto que estamos, com a quantidade de pessoas no planeta, consumismos, ganancia desenfreada...é um trem desgovernado, que se parado vai causar uma grande confusão, e se não parar vai acabar mal de todo o jeito.
    É bem "admiravel mundo novo".
    Não sei se leu esse livro, mas se não leu, pode conferir, pois é uma boa ótima leitura, é um livro bem critico.

    Parabens pelo blog, um abraço!

    ResponderExcluir
  6. nossa, que análise, heein?? comparações perfeeitas. Muito bom.

    ResponderExcluir