domingo, 11 de janeiro de 2009

A Sombra do Vento

Empolgar-me virou comum. Ultimamente, tenho me empolgado com a maioria das coisas que assisto, ouço ou leio. E não foi diferente com o livro "A Sombra do Vento", do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafón. Para os mais atentos, esse foi o livro que inaugurou a sessão "Lendo" daqui do blog, no último mês de dezembro, e o que me devolveu a vontade de ler, perdida depois de "Os Miseráveis" de Victor Hugo.

A história é surpreendente do início ao fim. Tudo começa com o aniversário de 11 anos de Daniel Sempere e sua tristeza por ter esquecido o rosto da mãe, falecida há algum tempo. É quando seu pai resolve levá-lo ao Cemitério dos Livros Esquecidos, um lugar onde histórias abandonadas ficam guardadas à espera de que alguém as descubra.

Em meio a milhares de livros, Daniel encontra um exemplar de "A Sombra do Vento", do escritor barcelonês Julián Carax. Após se fascinar com a história, o garoto resolve conhecer mais sobre aquele autor e é aí que descobre que alguém anda queimando todos os exemplares de obras já escritas por Carax.

Começa então a busca interminável do garoto para descobrir quem anda destruindo seus livros. Durante essa busca, Daniel conhece personagens incríveis ao redor de Barcelona, onde se passa a história, e que vão ajudá-lo a encontrar respostas para esse enigma cruel. Personagens irônicos, misteriosos e também os mais insensíveis, como o severo policial Javier Fumero.

Sem esquecer do teor romântico, "A Sombra do Vento" trata dos assuntos do coração de uma forma plural, exatamente como os amores adolescentes. O aparente amor que Daniel nutre por Clara Barceló, a menina cega filha de um famoso livreiro barcelonês, e a paixão arrebatadora pela irmã de seu melhor amigo, Beatriz Aguilar.

Essa é a mistura que a maioria dos livros deveria ter. Uma história com suspense, romance, ação e a marca da ironia fina, presente na maioria dos diálogos entre Daniel e Fermín Romero de Torres, um ex-mendigo de passado glorioso e que se tornará o grande e verdadeiro amigo de Daniel durante toda a saga. Vale a pena embarcar nessa aventura!

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Oi Marcos querido rsrs
    Talvez por isso seus textos sejam tão ricos... você lê bastante, e gosta disso.

    Você sabe que gosto de textos inteligentes como os seus... é legal como você conta seu dia a dia de uma forma quase poética.

    Eu não conheço o livro, mas gostei da dica rsrsrs

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Marcos Aurélio, assim como o dicionário, você é culto.
    Eu também adoro ler, ainda não li esse livro, mas uma colega leu (e não gostou), mas gosto é algo bastante complexo.

    Boas Indicações.

    x)

    ResponderExcluir
  3. Ótimo post, suas idéias são bastante construtivas, se melhorar estraga.
    Acesse também:
    http://www.idjay-c.blogspot.com/

    E veja as coisas como são...

    ResponderExcluir
  4. tava curiossíma para ler esta crítica.

    Gostei. Vou ver se encontro esse livro por aqui...

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá Markoso!

    Passando para te desejar um ótimo final de semana!

    beijos :)

    ResponderExcluir
  6. Seu blog é muito legal e criativo.
    Depois passa lá no meu:
    http://idjay-c.blogspot.com/

    Não deixe de acompanhar e ver as coisas como são...

    ResponderExcluir
  7. Visite:
    http://idjay-c.blogspot.com/

    E descubra um pouco mais sobre os garotos!

    ResponderExcluir
  8. Minha primeira vez por aqui!
    Gostei do post sobre o livro...
    despertou meu interesse,seguirei a dica e irei ler!Parece ser bem interessante.
    Vou conferir outros posts!
    Abraços!
    Quando puder me visite:
    http://oitentando.blogspot.com/

    ResponderExcluir