segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Poeta do Vento

Não sei se o que faço é certo
Nem sei se é certo o que faço
Sigo meu passo
Passo meu rumo
Rumo ao escuro
Descuido destino

Esqueço do tempo, tempo de ouro
Desejo um beijo, um riso, um choro
Confundo emoções, me brilha o lamento
Sem sentimento, sou mais um sem você

Sou o poeta do vento
A base do Sol
Confesso, ciumento
Sem ter seu amor
Ou o tenho?
O que tenho?

Tomas de mim o meu vento
Me empurre contra a parede
Desgaste meu fôlego
Respire um momento
Mas acredite no que digo:
Sou o poeta do vento!!

Marcos Lima

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Poeta do Vento/LoT/coisa chata, gostei de sua poesia :) bem espontânea x)
    realmente, muito LEGAL :P

    beijoo =*

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Gostei muito dos seus poemas, e sobretudo da sua forma de pensar. E melhor ainda: você é da ilha! É bom conhecer pessoas como você. (Só uma coisinha: você foi à final do Poemará???)

    Enfim, parabéns pelo talento. Se der, faz uma visitinha ao meu blog.

    Abraços, até.

    ResponderExcluir
  3. Acredito que a maioria dos poetas, são "poetas ao vento!!"
    Lindas palavras!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Nunca sabemos o caminho certo, o que certou ou errado ...
    E estou em tomar uma decisão profissional e nem sei ... se deixo passar a oportunidade e continuo na mesma ...

    Abraços,
    SURTADO

    ResponderExcluir
  5. Obrigada pela visita!
    Também vou à Feira do Livro, esse ano ela vai vir com algumas coisinhas a mais, parece até que vai contar com a presença de Lygia Fagundes Telles (uma das minhas escritoras favoritas).

    Até lá!

    ResponderExcluir
  6. O senhor do tempo está nos links favoritos do bloguerreiro.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Belo poema, Markoso Lima! Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Estive por aqui novamente ....
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. gostei do poema :D
    obrigado pela força !

    ResponderExcluir